IBM anuncia plataforma para tornar os “negócios cognitivos”


29 set 2016

A IBM anunciou nessa terça-feira, a primeira plataforma em nuvem que integra todos os tipos de dados, possibilitando tomadas de decisões com base na inteligência artificial (AI).

Essa plataforma, a Project DataWorks do Watson, foi concebida para tornar os negócios “mais cognitivos”, simplificando para os profissionais e gestores de negócios o processo de coleta, organização, controle, e proteção de dados.

Para a IBM, esse trabalho de buscar insights de dados é cada vez mais complexo. Normalmente, esse trabalho é realizado por profissionais altamente qualificados, mas que atuam em silos, com ferramentas desconectadas e serviços de dados que são difíceis de gerir e de integrar.

ibm-ai-1

Ano passado, a IBM criou uma unidade de negócio chamada Cognitive Business Solutions, para aconselhar empresas no uso do Watson (Cortesia: BidnessEtc)

 

Outro problema, apontado pela IBM é que as empresas devem, de forma contínua, iterar seus modelos de dados e produtos, buscando os insights mais relevantes – e, muitas vezes, elas fazem isso manualmente, gastando muito tempo.

Bob Picciano, VP sênior da IBM Analytics, diz que os profissionais gastam até 80% do seu tempo na preparação de dados, não importa qual seja tarefa, mesmo que usem a mais sofisticada AI. A razão da demora é pelo fato de não haver uma plataforma padrão.

O Project DataWorks, segundo a IBM, não apenas dá maior rapidez, mas pode ajudar as empresas no sentido de conectar todos os dados e insights em uma plataforma integrada e self-service.

A chave para negócios mais cognitivos é colocar os dados para trabalharem. Para isso é necessário uma plataforma, um ecossistema, e um método” – IBM

project-dataworks
Modelo preditivo do Project DataWorks (crédito: IBM)

 

Disponível na Bluemix, a nova plataforma da IBM promete ajudar empresas a:

– Automatizar a implantação dos dados e produtos utilizando o aprendizado de máquina cognitivo e o Apache Spark;

– Processar os dados mais rapidamente do que qualquer outra plataforma de dados, de 50 a centenas de Gbps, e em todos os endpoints: bancos de dados corporativos, Internet das Coisas, e mídias sociais;

– Alavancar um ecossistema aberto com mais de 20 parceiros e tecnologias como Confluent, Continuum Analytics, Galvanize, Alation, NumFOCUS, Rstudio e Skymind.

Deixe seus comentários abaixo


Redação O Futuro das Coisas
Redação O Futuro das Coisas

O Futuro das Coisas é dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina numa linguagem divertida e acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This