Antagonias


23 jun 2018

Senta, levanta, ascende, apaga

Preto e o branco, se alegra, se estraçalha

Se começa, se acaba

Um trem desenfreado, um mar em dia calmo

Que dorme, acorda

Se vai e se volta

Amanhece, anoitece

Cai a chuva, vem o sol

E esquenta, mas esfria

E essa loucura termina?

Não termina; e te desafia

Mas o eterno infinito se limita

Roda, roda, a roda da vida

É espiral quando se olha pra cima

Do vai e vem da poesia

Do silêncio à melodia

Faz orquestra, faz meditação

De sorrisos no rosto

Grande decepção

Da alegria à dor – um malabares

Montanha Russa, meu amor!

Mas, enfim, se equilibra o pêndulo da vida

Ao terminar este soneto

Ainda que antes do desfecho

Cerram-se todas as antagonias

E o caminho do meio surge

Nos olhos do futuro

Onde a paz encontras-tu

Que tanto te necessitas

 

Crédito da imagem: Catello Gragnaniello

Deixe seus comentários abaixo


Nathalia Viana
Nathalia Viana

Nathalia Viana é pesquisadora de tendências, pesquisando novos movimentos comportamentais que se tornam “moda” e é praticado por uma crescente massa de pessoas. Com 8 anos de experiência na área, trabalhando para diversos segmentos e grandes empresas, ela traz esse background de informações para escrever em forma de versos a história que vem descobrindo sobre as novas tendências não materiais da humanidade. Nathália é também idealizadora do Download do Futuro onde lá observa como o novo mundo está sendo reconstruído.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This