42 ferramentas práticas de Inteligência Artificial que você pode usar hoje


04 jan 2016

Você já pode tirar proveito da Inteligência Artificial na prática, tanto para melhorar o seu dia-a-dia como para alavancar o seu negócio e até encontrar oportunidades para empreender.

Já é possível também entrar em campo para desenvolver novas soluções em Inteligência Artificial (IA), pois ela não está mais confinada aos grandes laboratórios. Embora a maioria das soluções existentes tenha sido desenvolvida pelos grandes players em TI, como a Apple, a Google, o Facebook e a IBM, espera-se a entrada de pequenas startups nesse mercado em ascensão.

O site Kurzweil publicou na semana passada, uma lista com algumas ferramentas existentes em IA. Nós, do O Futuro das Coisas, traduzimos e adicionamos outras. A lista a seguir é bem representativa do que existe hoje. São 42 ferramentas úteis para empresários, empreendedores, futuristas e tecnólogos.

Para uso pessoal

amazon echo

Echo da Amazon (imagem cortesia: The Verge)

 

As ferramentas para uso pessoal organizam a sua rotina, aumentam a produtividade e você pode ficar sempre por dentro do que é importante.

Siri: Assistente pessoal inteligente da Apple para iOS, watchOS, e tvOS.

Cortana: Assistente pessoal inteligente da Microsoft, projetado para o Windows Mobile, mas também disponível para Android e com uma versão para iOS da Apple. Também funciona em desktops e Xbox One.

Google Now: Assistente pessoal inteligente criado pelo Google, disponível para Android e iOS, bem como no navegador Google Chrome.

Watson: Supercomputador da IBM que utiliza processamento de linguagem natural e aprendizagem de máquina para análise e insights de grandes quantidades de dados.

Echo: Assistente pessoal da Amazon em formato cilíndrico com alto-falantes poderosos. Os usuários podem pedir ao Echo para buscar informações na Web, tocar música e comprar produtos diretamente da Amazon.com.

Para negócios

konduto

(Imagem: site Konduto)

 

Konduto: Desenvolvida por uma empresa de São Paulo, a solução antifraude de pagamentos estuda a forma como os clientes navegam na internet e qual a intenção ao comprar.

Gluru: Organiza documentos on-line, calendários, e-mails e lhe dá informações e novos insights.

x.ai: Uma espécie de “agendador” pessoal que coordena sua agenda, reuniões e horários.

CrystalKnows: Ajuda você a saber a melhor forma de se comunicar com colegas de trabalho e clientes.

RecordedFuture: Alavanca o processamento da linguagem natural em larga escala e em tempo real para coletar e compreender mais de 700.000 fontes disponíveis na Web.

Tamr: Utilizando a IA e aprendizagem de máquina, ajuda empresas ao fazer uma curadoria e análise de grandes quantidades de dados.

Ross Intelligence: Possibilita mais rapidez e argumentos mais perspicazes para os advogados.

LegalRobot: Automatiza a revisão de documentos legais de modo que possam ser compreensíveis e úteis para pessoas e empresas.

Para o Marketing e interações com clientes

digital genius

DigitalGenius (imagem cortesia: Techcrunch)

 

DigitalGenius: Impulsiona conversas com clientes de maneira escalável.

Conversica: Ajuda a encontrar leads (potenciais clientes), por exemplo por meio de conversas de e-mails automatizadas.

WarRoom: software desenvolvido pela startup brasileira Stilingue usa a IA para analisar o comportamento online de brasileiros e influenciadores digitais.

Para as artes e escrita

This is where the magic happens.

Escritório da Automated Insights, com o CEO Robbie Allen ao fundo. (Crédito: Justin Cook)

 

What-If Machine: Desenvolvido pela Universidade de Londres, cria ideias fictícias, desde histórias a anúncios publicitários. Essa ferramenta ajudou na criação dos personagens e temas centrais do musical Beyond The Fence.

Vault: Empresa israelense que desenvolveu algoritmos que podem prever se um filme será sucesso ou não de público com até 70% de precisão, apenas “lendo” o script. Essa ferramenta é útil para produtores audio-visuais e cineastas.

Wordsmith: Ferramenta de geração de conteúdo criada pela Automated Insights. Age como uma espécie de cientista de dados pessoais, criando relatórios personalizados para empresas e sites de notícias.

Narrative Science: Permite criar narrativas e personalizar o tom das histórias. Também cria relatórios para empresas.

Para desenvolvedores

SigOpt

Scott Clark, co-fundador e CEO da SigOpt (Imagem cortesia: TechCrunch)

 

Vicarious: Eles estão construindo a próxima geração de algoritmos de IA e atualmente estão focados em problemas de percepção visual, como reconhecimento, segmentação e análise de cena.

Soar: Uma arquitetura cognitiva geral para desenvolvimento de sistemas com comportamento inteligente.

Prediction.io: É um serviço fácil de usar com modelos abertos para uma ampla variedade de trabalhos avançados em IA.

Jade: Framework Java para simplificar o desenvolvimento de sistemas multiagentes.

Protégé: Um editor gratuito, open-source com estrutura para a construção de sistemas inteligentes e soluções em áreas tão diversas como a biomedicina, e-commerce, e modelagem organizacional.

h2o.ai: constrói aplicações mais inteligentes de aprendizado de máquina e IA, que sejam mais rápidas e escaláveis.

Seldon: Plataforma aberta de aprendizagem de máquina, que agrega inteligência às empresas.

SigOpt: Executa experimentos e cria melhores produtos com menos tentativa e erro.

Scaled Inference: Uma nova geração de software inteligente construída por pessoas e comunidades e alimentada por uma plataforma aberta.

OpenCV: Visão computacional de código aberto e uma biblioteca de funções de programação e de software de aprendizado de máquina.

OpenCog: Um projeto aberto de software, cujo objetivo é criar um framework open-source para a Inteligência Artificial Geral (AGI).

Para a saúde

deepgenomics

Brendan Frey (com as mãos no bolso), CEO da Deep Genomics, e sua equipe (Imagem: Deep Genomics)

 

AIME: Uma parceria entre uma startup malaia e uma ONG carioca usa a tecnologia criada pela Artificial Intelligence in Medical Epidemiology (AIME), para prever surtos de dengue em determinadas regiões no Brasil, facilitando a prevenção e o combate.

Enlitic: Aprendizagem profunda para saúde e medicina baseada em dados com o objetivo de dar resultados de diagnóstico radicalmente melhores.

Metamind.io: Reconhecimento automático e categorização precisa de imagens. Inclui diversos cases de medicina.

Zebra Medical Vision: Aperfeiçoa o atendimento ao paciente ao fechar as lacunas entre pesquisa clínica em larga escala e implementação de insights clínicos.

Deep Genomics: Aprendizado de máquina e IA para a medicina de precisão, testes genéticos, diagnósticos e terapias.

Atomwise: Utiliza a IA e análises para previsões médicas e descoberta de novos medicamentos.

Flatiron.com: IA e aprendizagem de máquina para insights sobre tratamentos de saúde.

Para a robótica

skycatch1

Skycatch (Imagem cortesia: Skycatc Relief)

 

Mttr.net: Constrói veículos voadores movidos por software inteligente.

Skycatch: Software para sistemas aéreos totalmente autônomos.

Para o espaço

OrbitalInsight

OrbitalInsight (Crédito imagem: Paul Chinn, The Chronicle)

 

SpaceKnow: Usa a IA para acompanhar do espaço as tendências econômicas globais.

OrbitalInsight: Possibilita entender as tendências e questões globais, através de processamento avançado de dados e imagens em escala petabyte.

Deixe seus comentários abaixo


Redação O Futuro das Coisas
Redação O Futuro das Coisas

O Futuro das Coisas é dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina numa linguagem divertida e acessível.

Comments

  1. e para a área de design,alguma?

  2. Muito inovador e legal estes assuntos.

  3. Alexandre Melo : novembro 28, 2017 at 5:30 pm

    Bacana a reportagem .Mas para resolver o problema da corrupção no Brasil,recessão econômica,violência e etc .A Inteligência Artificial tem alguma solução? Quem sabe um robô para governar a nação. Muito futurismo sem soluções práticas para problemas atuais e reais é utopia tecnológica para americano ver e vender.Abs

  4. Por que não encontro um exemplo pão-pão, queijo-queijo de inteligência artificial. São apenas frases de efeito e promessas genéricas. Parece que qualquer software que faça mais que as 4 operações está sendo chamado de AI. Ou estou ficando doido, ou todo mundo está vendendo FUMAÇA pra conseguir algum dinheiro com o que está na moda. Talvez não possam esclarecer porque senão qualquer leigo perceberá que 90% é engodo, pura encenação.

  5. Para Recursos Humanos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This