A maior usina de transformação de resíduos em energia do mundo


09 fev 2016

Foi anunciado o vencedor de uma competição internacional para projetar a maior usina de transformação de resíduos em energia do mundo, que ficará em Shenzhen, na China.

O projeto de Schmidt Hammer Lassen Architects e Gottlieb Paludan Architects – os vencedores – será capaz de incinerar 5.000 toneladas de resíduos por dia, equivalente a um terço dos resíduos produzidos por 20 milhões de habitantes de Shenzhen a cada ano. Pra isso, contará com as mais avançadas tecnologias de incineração de resíduos do mundo. O local servirá ainda como um centro de aprendizagem para os visitantes sobre a gestão de resíduos.

Localizada nos arredores montanhosos de Shenzhen, a usina chamada de Shenzhen East Waste-to-Energy Plant tem uma única estrutura circular, que compreende todos os edifícios e instalações industriais.

Shenzhen-East-Waste-to-Energy-Plant 2Crédito: Schmidt Hammer Lassen Architects

 

A forma simplificada e compacta do projeto ajuda a minimizar a pegada durante sua construção e a quantidade de escavação necessária. Para reduzir ainda mais o seu impacto ambiental, dois terços do telhado de 66.000 metros quadrados, serão cobertos com painéis solares, enquanto um terço restante será usado para telhados verdes, sistemas de coleta de água e reciclagem e clarabóias.

The Shenzhen East Waste-to-Energy Plant-1Crédito: Schmidt Hammer Lassen Architects

 

A fachada circular que envolve o edifício terá aberturas para permitir a ventilação natural, e os resíduos incinerados serão protegidos pelas fachadas à prova de ruído e odor.

Segundo os arquitetos, para facilitar a educação sobre a gestão de resíduos para o público, a experiência do visitante é integrada ao design. Haverá um parque ajardinado e um centro de visitas, para que eles possam ver o maquinário da usina. Uma passarela panorâmica será adicionada ao último piso, com vista sobre as montanhas, florestas e sobre a cidade.

Shenzhen-East-Waste-to-Energy-Plant-by-Schmidt-Hammer-Lassen-Architects-16Crédito: Schmidt Hammer Lassen Architects

 

Ao mesmo tempo em que os visitantes se informam sobre os desafios crescentes da quantidade de resíduos que são produzidos diariamente, eles também são instruídos sobre iniciativas para reduzir a sua própria quantidade de resíduos.

A usina está prevista para começar a operar em 2020.O vídeo abaixo mostra a renderização do projeto vencedor:

Fonte: Schmidt Hammer Lassen

Deixe seus comentários abaixo


Redação O Futuro das Coisas
Redação O Futuro das Coisas

O Futuro das Coisas é dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina numa linguagem divertida e acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *