Macacos têm o trato vocal pronto para a fala. Por que então eles não falam?


15 dez 2016

Durante quatro décadas, subestimou-se a capacidade que os primatas teriam de produzir sons similares à fala humana, em virtude das limitações da anatomia do seu aparelho vocal.

Derrubando essa opinião generalizada, suportada por antigas técnicas realizadas em animais post mortem, pesquisadores da Universidade de Princeton relataram suas descobertas, dia 9 de dezembro, na revista Science Advances.

Os pesquisadores utilizaram vídeos de raios-X (à direita) para rastrear os movimentos de diferentes partes da anatomia vocal dos macacos – como língua, lábios e laringe – durante vários comportamentos orofaciais. (Crédito: Ilustração de Tecumseh Fitch, Universidade da Áustria, e imagem cortesia de Asif Ghazanfar, do Princeton Neuroscience Institute).

 

Gravando vídeos de raios-x, os quais mostravam os movimentos de diferentes partes da anatomia vocal de macacos – como a língua, lábios e laringe – enquanto estes emitiam sons ou se alimentavam, os pesquisadores quantificaram a dinâmica do trato vocal deles. Eles converteram os dados em um modelo computacional que previu e simulou o alcance vocal destes macacos.

O que descobriram foi que um macaco seria capaz de produzir sons compreensíveis de vogais – e até mesmo frases completas – com seu trato vocal se tivesse a habilidade neural de falar, relatou o autor do estudo, Asif Ghazanfar, professor de psicologia do Instituto de Neurociência de Princeton.

Arquivo de áudio do modelo vocal dos pesquisadores em que os macacos proferem a frase “Will you marry me? (“Você quer casar comigo?”), sintetizado com fonte ruidosa (crédito: W. Tecumseh Fitch et al./Science Advances).

 

Arquivo de áudio de uma fêmea humana adulta dizendo “Will you marry me?” (“Você quer casar comigo?”), resintetizado com uma fonte ruidosa (crédito: W. Tecumseh Fitch et al./Science Advances).

 

O modelo foi usado para criar clipes de áudio gerados por computador que simulam o que um macaco (áudio acima) poderia produzir de som caso ele pudesse falar, comparando à fala de uma fêmea humana (áudio abaixo). A frase é claramente audível (em Inglês): “Você vai casar comigo?

“A principal conclusão do nosso estudo é que o aparelho básico de produção vocal do primata pode tranquilamente produzir cinco vogais claramente distinguíveis … a norma mundial para a linguagem humana e muitos outros idiomas se contentam com apenas três vogais”, observam os pesquisadores no artigo publicado. “Consoantes como (/p/, /b/, /k/ e /g/) juntamente com uma variedade de outros sons consonânticos (por exemplo, /h/, /m/ e /w/) seriam facilmente alcançáveis para um macaco.”

As descobertas implicam que a evolução da capacidade da fala humana exigiu alterações neurais ao invés de modificações da anatomia vocal.

Ou seja, apesar dos macacos possuírem um trato vocal pronto para a fala, o cérebro não está preparado para controlar essa fala.

O trabalho foi apoiado pelo National Institutes of Health e pelo European Research Council.

Fontes: Science Advances e Princeton

Deixe seus comentários abaixo


Redação O Futuro das Coisas
Redação O Futuro das Coisas

O Futuro das Coisas é dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina numa linguagem divertida e acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This