Como será cuidar de um filho em 2027?


13 ago 2017

O que deve acontecer nos próximos 10 anos que irá impactar a forma como os pais criam os seus filhos?

Os avanços tecnológicos nos dão fragmentos de possíveis futuros para a arte de ser pai ou mãe. São tantas inovações que a nossa imaginação voa sobre o que deve acontecer nos próximos anos.

A fabricante de brinquedos Fisher-Price examinou várias indústrias e mergulhou no comportamento cultural para descobrir a trajetória da evolução da tecnologia e os seus impactos. A empresa recentemente apresentou a sua perspectiva para os próximos anos. A previsão mais plausível é até 2027, os futuros pais estarão usando a tecnologia para cuidar de suas famílias através de experiências imersivas e personalizadas.

1- Os pais estarão mais tempo em casa

A tendência do teletrabalho. Crédito: Marilynn K. Yee / The New York Times

 

O teletrabalho aumentou quase 80% entre 2005 e 2012, e estima-se que os trabalhadores remotos representem, só nos Estados Unidos, cerca de 2,6% da força de trabalho americana.

No Brasil, uma pesquisa feita com 325 empresas de diferentes segmentos e portes, de diversas regiões do país, mostra um aumento de 50% no número de empresas que estão implantando a prática do home office

Se essa tendência continuar, os pais do futuro têm boas chances de ter um emprego que lhes permita trabalhar em casa. E, estar em casa, significa que os filhos possivelmente irão desenvolver uma conexão mais próxima com os pais, dando chance a eles de participarem mais ativamente de sua educação e criação.

2- Uma comunicação mais evoluída

Cortesia da imagem: The Unexplainable Store

 

Hoje, os pais se comunicam com seus filhos através de mensagens de texto, telefonema ou face a face. Como isso mudará no futuro? Essas opções ainda estarão em uso, mas, muitos especialistas da indústria de tecnologia preveem que o futuro da comunicação seja a telepatia.

O principal futurista da Cisco Labs disse recentemente que eles estão desenvolvendo um dispositivo para que as pessoas se comuniquem apenas com o pensamento. Mark Zuckerberg, do Facebook, também acredita que a telepatia será o modo de comunicação do futuro. Ele próprio já disse que está trabalhando para isso se tornar realidade.

A telepatia permitirá que pais e filhos fiquem em contato independentemente de onde estejam. Por exemplo, os pais podem se comunicar com os filhos no meio de uma reunião de negócios sem que ninguém perceba.

Mas, a telepatia também leva a novos desafios. Hoje, os pais podem monitorar as mensagens de texto e as chamadas telefônicas dos seus filhos. Isso pode não ser possível no futuro, se as crianças puderem se comunicar com outras pessoas apenas pelo pensamento. Novos desafios surgem à medida que as crianças puderem se comunicar com estranhos ou enviar mensagens inapropriadas sem que os pais saibam.

3- A tecnologia tornará ainda mais fácil a criação dos filhos

Árvore da Memória (Memory Tree) – Crédito: Fisher Price

 

Não há dúvida de que a tecnologia tornou a vida dos pais mais fácil, e continuará ajudando. No futuro, os brinquedos serão mais interativos para que as crianças possam se entreter sozinhas, liberando os pais para fazerem outras coisas.

Imagine um monitor que não apenas alerta quando o bebê está acordado no meio da noite, mas também comunica “de forma visual” o motivo dele estar acordado. O bebê está com fome? Precisa trocar a fralda? Os pais não precisam mais adivinhar o que a criança precisa. Outra coisa, o monitor será capaz de determinar se quem deve ser alertado é o pai ou a mãe com base no ciclo de sono REM que cada um deles está no momento.

Os pais também poderão registrar dados e memórias numa espécie de “árvore interativa” – não apenas marcos físicos, mas emocionais e cognitivos também. Esta “árvore” poderá ser harmoniosamente integrada à casa, ganhando vida à medida que for alimentada.

O bebê fica encapuzado em um assento de elevação semelhante a um ovo, uma viseira de realidade virtual sobre os olhos e fones de ouvido conectados aos ouvidos.

O artista e o futurista experiencial Stuart Candy criou um dispositivo hipotético chamado NurturePod, o qual ele considera “um fragmento de um futuro possível”. Em exibição no M HKA, Museu de Arte Contemporânea em Antuérpia, na Bélgica, como parte da exposição A Temporary Futures Institute, o NuturePod é um “pod programável” que ajuda a cuidar de um bebê.

O NurturePod supostamente ajuda a gerenciar os ciclos de sono da criança, ao mesmo tempo que desenvolve a sua criatividade, consciência corporal, e habilidades sociais. Só não está claro se esses benefícios foram validados. Crédito: Stuart Candy

 

Para Candy, o NurturePod pode parecer exagerado, mas está mais próximo da realidade do que parece. Na maior parte, sua tecnologia já existe. “Só exigiria que as pessoas estivessem dispostas a confiar parte dos cuidados infantis a um dispositivo tecnológico”.

Deixe seus comentários abaixo


Redação O Futuro das Coisas
Redação O Futuro das Coisas

O Futuro das Coisas é dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina numa linguagem divertida e acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This